Licença creative commons

Licença Creative Commons
Projeto Traduções - Perry Rhodan de Delgado é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Loading...

terça-feira, 24 de maio de 2011

Novo lançamento nos Romances Planetários

Um novo volume foi lançado no novo formato dos Romances Planetários. "Psicojogo Mortal" (Tödliches Psychospiel), de Uwe Anton, foi publicado originalmente em novembro de 1995, no nº 392 dos Romances Planetários de Perry Rhodan, com o título "Psicojogo" (Psychospiel).

Na primeira edição a capa era de Alfred Kelsner e o subtítulo: O voo da EX-2222 - e a batalha no mundo paradisíaco.
Na edição atual, a capa é de Dirk Schulz e o subtítulo: O voo de aniversário do Explorer - a batalha no mundo paradisíaco.

No ano de 2222, a EX-2222 parte em um voo especial de comemoração do aniversário do Programa Explorer do Império Solar, destinado a explorar a Via Láctea, pesquisar e fazer novas descobertas em uma galáxia quase desconhecida. Gucky tem a ideia de lançar a nave às 22:22 hs. do dia 22/2/2222. A missão é comandada por Reginald Bull, que leva 50 jornalistas para cobrir o evento.

No sistema de um sol amarelo, dois planetas são descobertos, um deles semelhante à Terra, o qual é batizado pelo comandante da nave - Tulz Mjura - com o nome de uma jovem repórter, Chrystiana.
Uma celebração é organizada na órbita do planeta, mas um desastre acontece. De repente uma violenta onda de choque causa graves danos à Explorer. Há mortos e feridos, e só com grande dificuldade se consegue estabilizar a órbita, mas o hiper-rádio e o conversor linear são destruídos.
Inesperadamente uma nave tipo cruzador aparece nas proximidades e recebem uma mensagem de uma atraente mulher, empregada do consórcio Cordan, que reivindica a posse do planeta para sua empresa e exige a retirada imediata da nave do Império Solar.
Há muitos anos que a frota Explorer não é a única força a explorar a galáxia; as empresas privadas - em vista dos enormes possíveis lucros envolvidos com as novas descobertas - tem investido pesadamente na exploração e pesquisa, e querem defender seus interesses, com o que um conflito de interesses entre civis e militares - o Império e a iniciativa privada - é inevitável.
Ambas as partes utilizam intensamente a mídia como arma junto à opinião pública, e os empresários operam às margens da legalidade. Um perigoso jogo psicológico começa, em que há muito mais do que aparenta...

A nova edição foi cuidadosamente revisada e modernizada, e desde a última 6ª feira, 20 de maio, está disponível na Europa. O livro de bolso tem 160 páginas e custa 3,90 euros na Alemanha; 4,50 euros na Áustria e 7,60 francos, na Suíça.

http://perry-rhodan.net/aktuell/news/2011052002.html

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Lançamento da semana


Será lançado amanhã na Alemanha, dia 20 de maio, o nº 2596 da série Perry Rhodan, "Réquiem para o Sistema Solar" (Requiem für das Solsystem), de Christian Montillon, capa e ilustração de Swen Papenbrock.
Subtítulo: A luta desesperada dos Globistas - apenas eles ainda podem salvar a Terra.

Personagens principais:
Gucky - O rato-castor tenta um resgate nada fácil.
Reginald Bull - O ministro da defesa faz planos para o olho de fogo.
Kitai Ishibashi - O antigo mutante reencarnado fornece um retrato da miséria.
Professor Utaran Kook - O cientista-chefe siganês tem esperança de uma descoberta.

Na Via Láctea é o ano 1463 NCG (Novo Calendário Galático), correspondente ao ano 5050 do calendário cristão. A furiosa batalha ao redor dos Polyport se estende por várias galáxias.
As estações Polyport são provas de um tempo passado e a ponte para grandes distâncias. Após um sono milenar a Frequência Monarquia desperta para reivindicar seus mestres, os Vatrox, e os sistemas de transporte de várias galáxias.
Os terranos e seus aliados lutam amargamente, e vencem a Frequência Monarquia - primeiro em Andrômeda, e depois em Anthuresta. Os governantes e centros de poder dos Vatrox, VATROX-CUUR e VATROX-DAAG são destruídos. Mas a verdadeira vitória deve ser contra um terceiro poder espiritual, também derivado dos Vatrox nesta amarga luta: VATROX-VAMU.
Em última análise, tudo gira em volta de AQUILO, a superinteligência, mentor dos terranos. Ele parece estar ameaçado de morte, se não for possível impedir as energias psi alimentadas pelos Arsenais Paralox. E é por trás dele que está VATROX-VAMU. Assim, se trata de um RÉQUIEM PARA O SISTEMA SOLAR...

http://perry-rhodan.net/produkte/hefte/1/2596.html

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Os barcônidas


O povo dos barcônidas teve uma importante participação na série Perry Rhodan, desde o 1º ciclo. Era uma raça misteriosa, nativa do planeta Bárcon. Faziam parte dos 36 povos que formaram o Enxame, juntamente com os Oldtimers e os Engenheiros Galáticos. Quando da primeira passagem da minigaláxia pela Via Láctea, Bárcon foi arremessado para o espaço cósmico, separando-se do seu sol, e seguindo sozinho - como uma gigantesca espaçonave - uma monumental viagem pelo cosmo.
Eram uma raça humanóide, e por muito tempo suspeitou-se que era a raça de origem de todos os outros povos humanóides da galáxia.

Quando os Sete Poderosos perceberam que o Enxame iria se desvirtuar de sua missão original e ameaçar a Via Láctea juuntamente com o Suprahet e a nuvem de antimatéria, cerca de 1 milhão de integrantes dos povos que formaram o Enxame, e que eram espiritualizados, tomaram forma corpórea e povoaram o planeta Bárcon, originando o povo dos barcônidas.
Quando a ameaça do Suprahet foi solucionada, parte desse povo resolveu retomar sua forma etérea. Os que ficaram tornaram-se mortais e ao longo do tempo perderam os conhecimentos sobre sua origem. Os poucos que conservaram o conhecimento de sua origem e o legado técnico de seu povo foram os chamados "Guardiões das Estações"; eles espalharam-se por diversos pontos do universo, como contatos que tranmitiriam seus conhecimentos de geração a geração.

Há um milhão de anos, quando o Enxame chegou à Via Láctea, devido à manipulações da superinteligência Bardioc, houve uma revolução dos Karduuhls contra os cynos. Um efeito colateral dessa luta foi que o planeta Bárcon foi arremessado para o nada entre as galáxias, perto de Andrômeda. a partir daí os barcônidas começaram a mover seu planeta lentamente na direção da Via Láctea novamente.

Em 1982 Perry Rhodan teve o primeiro contato com esse povo. A superinteligência AQUILO, levou-o em uma nave espacial para Bárcon, a fim de ajudar a resolver os problemas que haviam no sistema propulsor do planeta.
Em 2044, novamente por iniciativa de AQUILO, Rhodan volta a Bárcon, onde o povo estava adormecido sob a superfície do planeta. Ele os desperta para defender-se do ataque dos invisíveis.
Em 2404, Bárcon foi destruido, devido a uma ação dos tefrodenses, que a mando dos senhores da galáxia, contaminaram os barcônidas com um mortífero vírus que seria fatal se chegassem à Via Láctea.
Em 3583 Ernst Ellert encontra-se com um barcônida no planeta Fogha. No entanto, esse indivíduo havia perdido quase totalmente a sua memória.
Em 447 NCG Ellert encontra uma estação dos barcônidas na galáxia Absantha-Gom, onde os barcônidas encontravam-se em sono profundo. Ellert assumiu um dos corpos e teve acesso às memórias e ao conhecimento da história de Bárcon.
O último contato de terranos com os barcônidas aconteceu em 1170 NCG, quando Ernst Ellert e Alaska Saedelaere, em missão para AQUILO, estiveram em uma estação barcônida, tentando despertar alguns adormecidos.

No mapa cósmico acima, a posição de Bárcon em relação ao Sol e outras estrelas da Via Láctea, na época em que fazia parte da galáxia. Clique sobre a imagem para amplia-la.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

"Nosso Homem no Espaço"

Como foi divulgado neste blog, no artigo "Documentário sobre Perry Rhodan" - publicado no dia 25 de maio de 2010 - neste ano de 2011 será lançado um filme documentário sobre Perry Rhodan, fazendo parte das comemorações dos 50 anos da maior série de ficção científica do mundo. O nome desse filme, salvo uma modificação de última hora, será "Nosso Homem no Espaço" (Unser Mann im All).

Ao menos o título do filme, foi inspirado em um dos Romances Planetários de Perry Rhodan, o de nº 117. Este volume, de autoria de Kurt Mahr, tem seis histórias de Perry Rhodan, que se passam entre os anos de 2327 e 3447.

Os títulos dos romances são:

1 - "O Ninga e a Fera" (Ninga und das Ungeheuer)
Em 2327, Perry Rhodan, juntamente com uma unidade especial, estão em um girino que é derrubado pelos Blues. Em um bote salva-vidas, Rhodan e outros três sobreviventes pousam em um mundo desolador, onde existe uma criatura humanóide, reminiscência de um monstro.


2 - "O Demônio na Caixa" (Der Dämon in der Kiste)
Em 2815, Perry Rhodan está em um setor de mineração, a 30 mil anos-luz da Terra. O objetivo é monitorar as ações de Ácon. Rhodan, juntamente com o Capitão Ron Schelling, parte em um voo de observação; mas acontece um acidente, e a lente espacial onde viajam colide com um meteoro e caem em um primitivo planeta, habitado por descendentes de arcônidas, por quem são capturados.

3 - "O Poder da Profundeza" (Die Macht aus der Tiefe)
No ano de 3005, no planeta Ensched, são descobertas amplas instalações dos lemurenses; uma base da frota solar é estabelecida ali, mas por um descuido, a base é tomada pela aliança carsualense. Rhodan lidera um comando de 15 soldados espaciais, para tentar apagar dados sigilosos que não podem cair nas mãos do inimigo, mas são capturados pelos ertrusos.

4 - "O Espírito da Serpente Verde" (Der Geist der grünen Schlange)
Em 3335, tanto o Império Solar, como a UCG (União Centro-Galática) se interessam pelo estratégicamente importante planeta Gankar, habitado por nativos primitivos; ambos os lados negociam com o governo local. A UCG tenta manipular a serpente sagrada dos nativos para sua vantagem, e Rhodan tem de impedir o que será algo prejudicial para a Terra.

5 - "O Rei Robô" (Der Roboterkönig)
No ano 3335, uma suposta transmissão de rádio da EX-338 atrai Perry Rhodan, Ras Tschubai e alguns soldados em um jato espacial, para perto da Grande Nuvem de Magalhães. Em um sistema solar afastado eles são presos por uma civilização medieval, e levados a presença do seu rei.

6 - "A Ovelha Negra" (Das schwarze Schaf)
Perry Rhodan e Reginald Bull, a bordo da INTERSOLAR, descobrem um planeta escuro, ao qual batizam de Oddball.
Em 3447, com a MARCO POLO, ele voltam àquele mundo, onde uma potência estranha tenta dominá-los com poderes hipnóticos.

Posteriormente a história "O Demônio na Caixa" foi lançada em áudio, em um CD, também intitulado "Unser Mann im All".

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Novo ciclo de Perry Rhodan - Neuroverso


No dia 17 de junho de 2011 será lançado na Alemanha, o volume nº 2600 da série Perry Rhodan, que levará o título "O Programa Thanatos" (Das Thanatos-Programm), de autoria de Uwe Anton. Este episódio abrirá o 37º ciclo da série, que terá o nome "Neuroverso" (Neuroversum). O ciclo compreenderá os nºs 2600 a 2699, e deverá ser concluído em 2013.
A história do ciclo se desenvolve principalmente em três níveis:
Perry Rhodan viajando a uma distante galáxia estranha, e lá encontrando uma misteriosa criatura, com dons estranhos, o Dosanthi.
Os habitantes do Sistema Solar se defrontam com estranhos perigos cósmicos em seu ambiente. Algo sinistro e estranho se inicia no Sol...
E Alaska Saedelaere. O homem com a máscara percorre a nave LUMINOSIDADE, procurando os mistérios de seus andróides. Os seus objetivos incluem o Reino Harmonia, mas ele é arrastado para um antigo conflito.

A capa, desenhada por Dirk Schulz, é esta acima, mostrando Perry Rhodan, com criaturas alienígenas exóticas ao fundo. Encartado haverá um poster gigante, da maior espaçonave da humanidade, a BASE, numa criação de Günter Puschmann.

http://www.perry-rhodan.net/aktuell/news/2011050603.html

http://www.perry-rhodan.net/aktuell/news/2011052601.html

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Autores - Uwe Anton, o novo "Expocrata"


O atual coordenador-geral da série Perry Rhodan, Uwe Anton, nasceu em 5 de setembro de 1957, em Remscheid, Alemanha.
Desde 1980 ele vem trabalhando como escritor e tradutor de romances e histórias em quadrinhos; teve publicados cerca de 150 romances e 30 contos geralmente de ficção científica, horror, crime e romances históricos - algumas de suas paixões. Como jornalista escreveu para jornais, revistas, antologias e anuários, cerca de quinhentos artigos, resenhas e ensaios.
Produziu a "Star Trek Encyclopedia"; um livro sobre o Pato Donald; escreveu sobre obras de Stephen King e Philip K. Dick.
Seu primeiro contato com a série Perry Rhodan foi como leitor, a qual acompanhou aproximadamente desde o nº 250. Em 1995, escreveu seu primeiro Romance Planetário de Perry Rhodan, o nº 385, "Futuro Gelado" (Eisige Zukunft). Em 1998 estréia na série principal, com o nº 1922, "O Solmothen" (Die Solmothen). Também escreveu para as histórias em quadrinhos de Perry Rhodan, mini-séries de Atlan e o miniciclo de Perry Rhodan, "Centauri".
Desde agosto de 2009, com o nº 2505, "O Mercado Polyport" (Der Polyport-Markt) ele é o autor dos exposés das histórias da série, tendo assumido o comando da coordenação, em substituição a Robert Feldhoff - que faleceu.

Alguns dos pseudônimos usados por ele:Mark Baxter, Carsten Braun, Frank de Lorca, Logan Derek, Henry Ghost, Robert Lamont, Carsten Meurer, L. D. Palmer, Henry Quinn,John Spider, Olsh Trenton.

Até agora escreveu 81 episódios para a série principal, sendo dois deles em parceria com Rainer Castor, e um com Robert Feldhoff, no qual concluiu a história iniciada por Feldhoff, e publicada após sua morte (ver matéria neste blog, "Prévia do nº 2538", de 11 de março de 2010).

http://perry-rhodan.net/information/team/teamautoren/anton.html

http://www.perrypedia.proc.org/wiki/Uwe_Anton

crédito da foto: © Pabel-Moewig Verlag GmbH, Rastatt