Licença creative commons

Licença Creative Commons
Projeto Traduções - Perry Rhodan de Delgado é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Loading...

quarta-feira, 20 de abril de 2011

O Sistema de Haluta



O sistema planetário de origem do povo halutense é Haluta, cujo único planeta da estrela vermelha, é Halut. Fica a cerca de 51 mil anos-luz do Sol.
O planeta Halut é muito antigo; suas montanhas são corroídas pela erosão. Durante muito tempo a posição do planeta era desconhecida de toda a galáxia.
Existem certas discrepâncias sobre os dados do planeta. É ponto pacífico que sua gravidade é de 3,6 g. Mas enquanto em algumas histórias da série, seu diâmetro é de 18.500 km, no Lexicom-PR consta como sendo de 23.409 km. O tempo de rotação na série seria de 47 horas e 26 minutos, e no Lexicon, de 31,9 horas.
No ano 50.300 a.C. cerca de 300 milhões de feras vindas de M 87 colonizaram o planeta Halut. Antes disso, há cerca de 60 mil anos, em torno de 500 mil indivíduos chamados "Ur-Halutenses" foram para a Pequena Nuvem de Magalhães, e dotados dos parceiros simboflex, formaram a 1ª Potência Vibratória, ou os Policiais do Tempo. Na verdade as primeiras feras colonizaram a Grande Nuvem de Magalhães há 70 mil anos. Cerca de cem deles foram banidos para sempre, por violarem as leis do primeiro poder vibratório. Em 20 mil anos eles se multiplicaram e quase levaram os lemurenses à extinção.

Os halutense são seres unissexuais, com uma estrutura física titânica, desenvolvidos atrávés de engenharia genética; tem 3,50 m de altura, 2,50 m de largura nos ombros, quatro braços com mãos de seis dedos, duas pernas, três olhos com capacidade de visão infravermelha, peso de cerca de três toneladas a uma gravitação de 1 G. Tem força e resistência extraordinárias, uma inteligência altíssima, dois corações e dois cérebros, sendo que um é responsável pelo controle das atividades motoras e reguladoras do organismo e outro é o cérebro programador, estritamente regido pela lógica e comparável aos melhores computadores positrônicos. Além disso, seu cérebro tem controle total sobre o corpo, e consegue fazer a conversão atômica de cada célula e molécula, podendo em uma fração de segundo adquirir a consistência de aço terconite, tornando-se virtualmente invulnerável e praticamente indestrutível, fazendo dos halutenses perfeitas máquinas de combate vivas.

Após perderem a guerra, alguns lemurenses que permaneceram na Via Láctea, se refugiaram no planeta Scimor, a fim de fazer pesquisas que levaram ao desenvolvimento do "regenerador psicogênico", que levou a raça halutense a se transformar em um povo pacífico.
Quando da época da dominação dos lares na Via Láctea, os halutenses voltaram a considerar a expansão de seu povo - que havia se estabilizado em cem mil indivíduos - a fim de enfrentar os invasores.
Em 1291 NCG (Novo Calendário Galático), 5 mil halutenses se fixaram na galáxia DaGlausch.
Após a Hiperinpedância, em 1331 NCG, 10 mil halutenses desapareceram, restando 87.746 indivíduos em Halut. Em março de 1346 NCG, muitos halutenses morrem nas batalhas contra a colônia terminal TRAITOR, e apenas 20.378 voltam para seu mundo. Em 1349 NCG haviam 51.302 halutenses em Halut.
Desde 1463 NCG a média da população se mantem em torno de 50 mil indivíduos.

Os terranos tem relações amistosas com os halutenses, desde que em 2400 o cientista Icho Tolot entrou em contato com eles, e passou a participar de várias aventuras ao lado da humanidade. Os halutenses tem uma expectativa de vida de 3 mil anos, mas Tolot obteve a imortalidade relativa através de um ativador celular.

Para ver o mapa cósmico do sistema, em tamanho maior, clique na imagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário