Licença creative commons

Licença Creative Commons
Projeto Traduções - Perry Rhodan de Delgado é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Loading...

sábado, 25 de dezembro de 2010

Boas comemorações!


A todos que acompanham este blog, e a seus familiares, desejo um natal com alegria e harmonia, e desejo um 2011 repleto de realizações, conquistas e felicidade.

Ótima passagem de ano, bons festejos no reveillon, e que iniciemos o ano cheios de energia para os desafios que virão.

Vamos nos empenhar na divulgação da série Perry Rhodan e esperar a volta da publicação da mesma, bem como que o Projeto Traduções possa se firmar através da adesão de novos participantes.

Até o próximno ano e tudo de bom a todos.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Os antípodas - O belicista e o pacifista



Muitas vezes dizem que os opostos se atraem, e isso aconteceu na série Perry Rhodan.
Apesar de suas diferenças de caráter, personalidade e opiniões, K. H. Scheer soube reconhecer o talento e a capacidade de William Voltz, e o manteve como seu auxiliar na elaboração e organização dos ciclos da série, além de como um dos autores da mesma.

Karl-Herbert Scheer (19 de junho de 1928 em Harheim (Hessen), Alemanha - 15 de setembro, 1991 em Bad Homburg , Alemanha) foi o idealizador e criador da série Perry Rhodan, juntamente com Walter Ernsting (Clark Darlton). No entanto, todo o controle dos destinos da série estava nas mãos e na mente de Scheer, que com uma personalidade forte e autoritária, tinha um estilo controlador, não deixando margem a que os autores imprimissem grandes doses de suas opiniões nos roteiros elaborados por ele. Por conta disso, demitiu sumariamente alguns autores que em sua visão, não se adequavam às suas ideias.
Ele serviu na marinha na 2ª guerra mundial, e essa experiência se fez sentir em seus romances, onde suas experiências de combate em um submarino passaram a ilustrar a vida em uma nave espacial.
Talvez também por conta disso, ou por questões ideológicas, sua fase no comando da série ficou marcada por grande belicismo e defesa de um forte poder militar, o que lhe valeu as alcunhas de "Herbert Canhão" e "granada de mão Herbert".
O personagem Perry Rhodan foi chamado pela imprensa de o Hitler da ficção científica, pelo forte culto à personalidade do líder imposto por Scheer ao seu herói e pelos poderes ilimitados, que uma suposta "democracia" não escondia, que davam a Rhodan poder de vida e morte sobre seus subordinados, fazendo-o assim o protótipo perfeito do ditador, como os césares da Roma antiga, que com um gesto de mão decidiam sobre a vida ou morte das pessoas.
No entanto isso não impediu que ele tivesse admiradores e pessoas que compartilhavam de sua visão. E mesmo para os que não apreciam o belicismo exacerbado e a apologia ao absolutismo, se deixassem isso de lado veriam que as histórias de Scheer costumavam ser boas – principalmente as que versavam sobre espionagem e batalhas.

Mas a partir do 6º ciclo da série, ele passa a escrever cada vez menos, em virtude de problemas de saúde.(Nesse ciclo escreveu apenas cinco episódios). Sua última história como coordenador da série foi a de nº 500, "Eles Vieram do Nada" (Sie kamen aus dem Nichts), de 20 de abril de 1971. Após isso ainda continuou como coordenador oficialmente, se bem que na prática isso já não acontecesse.
Criou o personagem Atlan, uma espécie de alterego de Perry Rhodan. Tratava-se de um aristocrata de família nobre e governante de Árcon, do qual foi imperador, em uma forma de governo absolutista. O personagem foi um grande sucesso, tendo gerado uma série paralela, e se mantem até hoje como um dos personagens fixos da série Perry Rhodan.
Scheer se afastou da série por muitos anos, mas retornou a ela como um autor comum, no episódio 1074, "A Isca de M3" (Lockruf aus M 3), de 22 de março de 1982, quando seu ex-auxiliar Voltz era coordenador-geral da série.
Escreveu mais 25 episódios, sendo que o último foi o 1544, "Roleta dos Eleitos"(Roulette der Auserwählten), lançado em abril de 1991.

Escreveu para outras publicações como a série Utopia.
Usou pseudônimos como:
Pierre de Chalon
Roger Kersten
Diego el Santo
Klaus Tannert
Alexej Turbojew

Wilhelm Karl Voltz (28 de janeiro de 1938, em Offenbach, Alemanha – 24 de março de 1984) publicou seu primeiro romance em 1958 na série Utopia. "O Lutador das Estrelas" (Sternenkämpfer) ganhou vários premios.
Estreou na série Perry Rhodan no 2º ciclo, com o episódio 74, "O Pavor" (Das Grauen), lançado em 1 de fevereiro de 1963.

Voltz se opôs a prestar o serviço militar por uma questão de convicção e princípios éticos. No entanto ele havia sido considerado como nível 4 – inapto, por um problema nos pés e por daltonismo.

Era um pacifista, não acreditava em guerras e na força bruta para resolver os problemas humanos.

Sua influência na série foi enorme. A partir do momento em que assumiu a função de coordenador, a série ganhou tons humanistas; o enfoque passou a ser o íntimo do ser humano, suas dúvidas. Os mistérios do cosmos e as forças existentes no Universo são explorados, mostrando a fragilidade e a pequenez da humanidade, que apenas faz o seu papel em um imenso plano cósmico de inteligências superiores. As fraquezas, angústias e dilemas psicológicos dos personagens são temas constantes.
Perry Rhodan perde seus superpoderes, e apesar de continuar com papel central e predominante, não apresenta mais a infalibilidade de outrora, e inclusive deixa de ser o governante dos terranos.
A série ganha contornos místicos e os mistérios e problemas se avolumam e ganham em complexidade, com várias nuances que formam um contraste com a simplicidade do maniqueísmo da era Scheer.
Seu último episódio na série foi o de nº 1165, "Lágrimas de Einstein" (Einsteins Tränen), publicado em 19 de dezembro de 1983.

Texto - Delgado.

Fontes de informação e crédito de fotos - Perrypedia, e:

http://www.williamvoltz.de/index.html

sábado, 18 de dezembro de 2010

Projeto Traduções lança o nº 547


A ser lançado neste sábado, 18 de dezembro, o nº 547 da série Perry Rhodan, "O Sol sem Sombras" (Die Sonne warf keinen Schatten), de Kurt Mahr.
O episódio do 8º ciclo da série, "O Enxame", narra os acontecimentos em um planeta em que uma equipe de cientistas está naufragada e sob o efeito da imbecilização. Todos esses cientistas e técnicos são extremamente necessários no Mundo dos Cem Sóis, onde o professor Waringer tenta uma solução para reverter a manipulação da constante 5-D, que provocou a imbecilização na Galáxia.

A operação de resgate dessas centenas de pessoas e as aventuras, dificuldades e os mistérios com que se defrontam a equipe de resgate são o tema desta história.

O episódio deverá ser enviado ainda neste sábado aos participamtes do Projeto.

Para ler uma amostra deste volume, copie e cole o link abaixo.

http://www.4shared.com/get/idZqSRr0/547_amostra.html

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Perry Rhodan Extra nº 11


O 11º número do Perry Rhodan Extra traz a história intitulada "Garrabo Galático" (Galaktisches Garrabo) - garrabo trata-se de um jogo arcônida de estratégia, que pode ser comparado ao xadrez - de autoria de Verena Themsen; capa de Dirk Schulz.
Subtítulo: Perry Rhodan e Bostich I - os dois homens mais poderosos da Via Láctea em perigo.

Na Terra e na Via Láctea registra-se nos calendários, outubro de 1341 NCG (Novo Calendário Galático), correspondente ao ano 4928 d.C.
Quase tres mil anos se passaram desde que Perry Rhodan, a bordo de um foquete de propulsão química partiu rumo à Lua.
Na atualidade a Terra é o centro de um florescente império formado por milhares de planetas.
No entanto, a potência mais influente da galáxia é o divino império de cristal de Árcon, dirigido de modo absolutista por Gaumarol Bostisch, portador de ativador celular.
Dez anos após o choque da Hiperimpedância, em 1331 NCG, a situação política na Via Láctea é tensa.

O imperador Bostisch I, de Árcon e o Residente terrano Perry Rhodan estão a caminho do planeta Marlian, no sistema Marlath. Nesse mundo existe uma colônia terrano-arcônida, com integrantes da LTL (Liga dos Terranos Livres), e os dois líderes pretendem selar um acordo no planeta.

Nesta situação, existe um encontro secreto entre os dois homens mais poderosos da Via Láctea - e isso está se tornando um GARRABO Galactico ...

Acompanha um CD com a exclusiva novela "Herança dos Cappins" (Erbe der Cappins)de Achim Mehnert , narrado por Sebastian Ruger.

http://perry-rhodan.net/produkte/hefte/sonderpublikationen/prextra11.html

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A Via Láctea em Perry Rhodan



Nos primeiros ciclos da série a ação era toda concentrada na galáxia natal dos terranos, a nossa Via Láctea. A partir do 5º ciclo a humanidade passou a explorar outras galáxias, começando pela mais próxima - Andrômeda - e indo cada vez mais distante.
Ainda hoje as histórias tem se desenrolado em grande parte em nossa galáxia, dividindo espaço com outras, desdobrando os locais onde se passam as aventuras dos terranos.

Via Láctea era chamada de:
Ammandul - na época da formação da superinteligência AQUILO.
Apsuhol - Pelos lemurenses.
Debara Hamtar - pelos arcônidas, que significava algo como a Velha Galáxia.
Primeira Galáxia - Pelos Senhores da Galáxia.
E outros nomes, como Phariske-Erigon, Sayaaron, etc...

É uma galáxia do tipo espiral, com cerca de 100 mil anos-luz de comprimento, 20 mil anos-luz de largura, 7 mil anos de espessura, 15 mil anos-luz de espessura no centro, diâmetro de 160 mil anos-luz. Nosso sol leva 200 milhões de anos em uma órbita em torno do centro galático.

A Via Láctea, é a pátria, além dos terranos e seus antepassados lemurenses, também de seus descendentes aconenses e arcônidas, aras, saltadores, superpesados, epsalenses, ertrusos, siganeses, ferronenses; halutenses, maakks, blues, tópsidas, entre outros povos.

Fonte: Sternen Atlas

sábado, 4 de dezembro de 2010

5ª edição de Perry Rhodan


No passado, haviam cinco edições simultâneas da série, e houve um período em que, além disso, também paralelamente se publicavam os Romances Planetários e a série Atlan.
No entanto com o passar do tempo, e novas mídias, jogos e outros tipos de concorrência, a VPM resolveu paulatinamente diminuir as publicações das séries derivadas de Perry Rhodan.
Hoje, além da série principal em sua 1ª edição, restou apenas a 5ª edição.
Claro que outras publicações existem, como os já citado Romances Planetários, série Atlan em várias versões, Perry Rhodan Action ainda disponíveis, mas em formatos diferentes dos originais. Além de miniciclos, como Andrômeda, Lemúria, Os Tefrodenses e outros...

No último dia 3 de dezembro foi lançado na Alemanha, na 5ª edição, o volume duplo contendo os nºs 1470/1471 da série, com os títulos "O Médico de Angermaddon" (Der Arzt von Angermaddon) e "O Museu dos Arcaonten" (Museum der Archäonten), de Arndt Ellmer e Robert Feldhoff respectivamente.

Trata-se do relançamento do 21º ciclo da série, "Os Cantaros", que faz parte do grande ciclo "Ativadores Celulares". Esse ciclo engloba os episódios de nº 1400 a 1499, tem o período das histórias entre os anos de 1143 NCG a 1147 NCG e foi publicado originalmente de 1988 a 1990, na Alemanha.

Nesse ciclo, Perry Rhodan e a maioria dos portadores de ativador de células estão voltando do universo Tarkan e sua frota cai em um campo estático criado pelo fechamento de Dorifer. Com isso eles perdem 695 anos, e constatam quando chegam à Via Láctea, que lá já é o ano 1143 NCG. Ninguém mais os conhece e poucos lembram ou sabem de seus nomes.
Não bastasse isso, verificam que toda a galáxia estava isolada do resto do universo por um campo de força chamado "Muro de Cronopulsos", que havia sido instalado pelos Cantaros, criaturas enigmáticas, ciborgues; eram humanóides com implantes cibernéticos.
O misterioso Monos instalou um regime de tirania, pesadelo e terror na galáxia.
Na Terra, as pessoas remanescentes, que conseguiram sobreviver, vivem em um estado de sono, em um mundo de sonhos chamado Simu-sense, que destrói o físico e a mente.
Um enorme exército de clones foi criado, e nessas experiências, milhões de seres considerados "falhas", chamados de biontes, tem uma existência miserável e torturante.

Praticamente não há mais navegação espacial. A fome, pavor e morte grassam por toda parte e essa era de horror indescritível é conhecida como os "Séculos Negros".

Perry Rhodan e seus amigos vêem tudo pelo que trabalharam por séculos em ruínas, e tem de empreender esforços além do imaginável na luta contra Monos e os cantaros.

A 5ª edição lança um volume duplo a cada duas semanas.

http://perry-rhodan.net/produkte/hefte/5/1470.html

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Lançamento da semana



Será lançado amanhã na Alemanha, dia 3 de dezembro de 2010, o nº 2572 da série, "Mensagem de Homunk" (Homunks Botschaft), de Arndt Ellmer, com capa de Dirk Schulz e ilustração de Michael Whittmann.
Subtítulo: O tempo está acabando - o destino de AQUILO nas mãos de Rhodan.

Personagens principais:
Perry Rhodan - O imortal se prepara e busca informações.
Homunk - O mensageiro de AQUILO procura manter contato com Perry Rhodan.
Jason Moor - Um homem desperta.
Timber F. Whistler - O Administrador da humanidade em Stardust luta com sua identidade.

Na Via Láctea registra-se o ano 1463 NCG (Novo Calendário Galático), correspondente ao ano 5050 d.C. A galáxia viveu mais de cem anos de paz.
Mas desde que os terranos encontraram os Polyport e a Frequência Monarquia, um passado de fúria se abate sobre eles, e o conflito explode.

Os Terranos e seus aliados lutam amargamente - A luta acontece na Via Láctea e em Andromeda. Eles descobriram que o calcanhar de Aquiles dos Vatrox, os senhores da frequência monarquia: eles têm por meio de seus mundos de hibernação, a possibilidade de renascimento. Eles levam a esses mundos os terranos e pegam as consciências dessas pessoas.

Perry Rhodan vai para a distante galáxia Anthuresta em busca de aliados na luta contra a Frequência Monarquia. Outra motivação de Rhodan é o fato de que, pelo poder do Vatrox, a superinteligencia AQUILO está diretamente ameaçada. AQUILO - o antigo mentor da humanidade, ligado diretamente com o filho de Rhodan, organizando o grupo local de galáxias. Muitos já haviam servido como intermediários entre AQUILO e Rhodan, mas o mais familiarizado com Perry Rhodan é aquele que lhe administrara pela primeira vez a ducha celular. E particularmente, o que mais o assusta é a mensagem de HOMUNK...

Trecho do episódio:
Um cubo de luz branca brilhante. Ele não mostrou nenhum conteúdo, sem fotos, nem mesmo as fitas com as informações. O cubo pendia sobre uma mesa com estruturas complexas. Pareceu-me que tinha problemas com o fornecimento de energia. As arestas do cubo brilharam novamente e novamente.
O brilho foi suficiente para que ele tomasse conhecimento do meio ambiente. As sombras de um mobiliário lhe parece familiares. Uma área de laboratório? Um apartamento?
"Eu tenho agora ..."
O resto de seu pensamento estava perdido na dor aguda, que se movia lentamente de frente para a retaguarda. Moor permaneceu imóvel, respirando profundamente. Levantou-se com um empurrão. Imediatamente ele estava tonto.



http://perry-rhodan.net/produkte/hefte/1/2572.html